Vida Académica em Portugal: Praxe, associativismo e núcleos

6 Agosto 2019

Para quem vem de fora e conhece Portugal pela primeira vez, é difícil não se apaixonar pelo país: boa comida, bom tempo, muita história e uma excelente arte de saber receber. Isto não somos nós que dizemos de nós próprios (quer dizer, também o dizemos) mas é mais dito por estrangeiros que por cá vão passando e alguns até acabam por ficar.

Enquanto turistas, sabemos receber e queremos continuar a fazê-lo também em relação a quem escolhe o nosso país para uma etapa tão importante como a educação. Por isso, encara este artigo como um abraço de boas-vindas a Portugal: aqui vamos tentar dar-te uma visão panorâmica sobre a vida académica no País Irmão sobre três temas - a praxe, o associativismo e os núcleos.

Praxe

Muitas vezes criticada no passado recente, a praxe não goza atualmente de boa imprensa. Contudo, o mais importante é perceber que há diferenças substanciais entre as práticas e filosofias de praxe entre as várias instituições/cursos e até cidades. Enquanto há casos que são de repudiar e em circunstância alguma devem ser apresentados como forma de diversão, há outros que apenas consistem em jogos, músicas, jantares e actividades que permitem conhecer-te melhor os teus colegas.

Em nenhum momento a praxe é obrigatória e todas as comissões de praxe perguntam se alguém não quer pertencer ao grupo. Não te deves sentir coagido a fazer parte do mesmo se a tua preferência é ficar de fora. E claro que vais fazer amigos na mesma!

Associativismo

Uma das melhores formas de viver a vida académica é fazendo parte de movimentos associativos estudantis, sendo os mais comuns as Associações de Estudantes. Todas as faculdades em Portugal têm uma que zela pelos interesses dos alunos e também promove assuntos importantes, como cultura, desporto e saúde. Pertencer a uma Associação de Estudantes é ótimo para ires desenvolvendo soft skills e melhorando a tua rede de contactos enquanto ainda estás a estudar.

Também no campo do associativismo surgem outras entidades, seja de cariz voluntário, social ou desportivo, às quais podes pertencer!

Núcleos

Além do acima mencionado, cada faculdade por ter núcleos específicos, criados por alunos e que normalmente dizem respeito a um curso. Por exemplo, é muito comum nas escolas onde é ministrado o curso de Marketing haver núcleos compostos por alunos de marketing, que tem por objetivo criar actividades onde possas colocar os teus conhecimentos fora da sala de aula. O mesmo se passa nas engenharias, onde é sublinhado o carácter prático do curso.

Normalmente, os núcleos pretendem sempre ter novos membros cada ano letivo, portanto, só tens de estar atento e ver quando é que as inscrições abrem e onde são!